Empresa desativada recebeu R$ 7 milhões da Sudam

Read Time:1 Minute, 41 Second

A Hayashi & Cia Ltda., empresa de Blumenau (SC) desativada em 95, recebeu R$ 7 milhões de recursos da extinta Sudam (Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia), entre 97 e 99, por supostos serviços de infra-estrutura prestados ao projeto agrícola Nova Holanda, de Balsas (MA).

Cópias das notas fiscais emitidas pela Hayashi à Nova Holanda foram encaminhadas hoje à Receita Federal, em Santa Catarina, para que se apure se os valores constaram das declarações de Imposto de Renda da empresa.

Os R$ 7 milhões pagos à Hayashi fazem parte de um volume de cerca de R$ 20 milhões que a Nova Holanda recebeu da Sudam a partir de 97 para desenvolver o projeto agrícola no Maranhão.

As cópias de notas da Hayashi fazem parte da documentação recolhida pela força-tarefa do MPF (Ministério Público Federal), que investiga os desvios.

O subprocurador da República José Roberto Santoro disse hoje, em Curitiba, que considera “fechada” a investigação do MPF sobre os recursos aplicados na Nova Holanda.

“Com os depoimentos de Blumenau, acredito que fechou a investigação”, afirmou ele. Segundo Santoro, um cruzamento de dados, na próxima semana, vai confirmar ou não as suspeitas de desvios na Nova Holanda.

Santoro, o procurador Rodrigo Janot e o delegado da Polícia Federal Rodney Rocha Miranda tomaram, ontem, em Blumenau, o depoimento do presidente da Nova Holanda, Lauro Leone Vianna.

O empresário também preside a Momento Engenharia, de Curitiba, e a Agrima, comprada da Lunus, em 94. A Lunus pertence à ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney e ao marido dela, Jorge Murad.

Vianna negou qualquer irregularidade no projeto e disse que a Hayashi recebeu o dinheiro pois teria feitos serviços de terraplenagem. Os proprietários da Hayashi não foram encontrados.

Em Curitiba, a força-tarefa ouviu dois envolvidos no projeto Usimar, que levou R$ 44,2 milhões da Sudam: Roderjan Busato, da Engeblon Engenharia, e a mulher dele, Magaly Hübner Busato.

Para amanhã, estão marcados os depoimentos de Amauri Cruz dos Santos e Ulbi Arlant, apontados como intermediários na aprovação do projeto Usimar.

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous post Após novos vídeos, Conselho de Ética da Câmara reavaliará conduta de Marcos Braz em caso de briga com torcedor em shopping
Next post Fazendeiro é levado para o presídio