Foragido em MG: Sequestrador de Ônibus no Rio Cumpriria 16 Anos por Homicídio

Read Time:1 Minute, 18 Second

Paulo Sérgio de Lima, autor de um crime ocorrido em Goianá, na Zona da Mata, em 2015, foi preso inicialmente, mas liberado após quase dois anos de detenção devido a um habeas corpus, uma vez que ultrapassou o período de 730 dias sem julgamento.

O mesmo indivíduo, condenado a 16 anos de prisão em regime fechado por roubo e homicídio com facão em Goianá, estava foragido da Justiça de Minas Gerais desde o ano anterior ao episódio em que sequestrou um ônibus e manteve 16 pessoas como reféns por cerca de três horas na Rodoviária do Rio de Janeiro.

O crime de 2015, detalhado em registros obtidos pelo G1, envolveu o assassinato de Adriano Eduardo Sarmento, encontrado sem vida em sua residência, onde Paulo Sérgio foi preso e posteriormente confessou o crime, alegando legítima defesa. No entanto, não compareceu ao julgamento em setembro do ano anterior, tornando-se um foragido desde então.

Além desse delito, em 2019, Paulo Sérgio foi detido por assaltar passageiros de um ônibus no Rio de Janeiro, sendo sentenciado a oito anos de prisão em regime fechado. Posteriormente, progrediu para o regime semiaberto e, em 2022, foi concedida prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica, porém, após violações, houve solicitação para seu retorno ao regime semiaberto.

Recentemente, após se envolver em conflitos na cidade do Rio de Janeiro, Paulo Sérgio fugiu para Juiz de Fora, em Minas Gerais, onde foi reconhecido por testemunhas como autor de roubos na região da Rocinha. Após se entregar às autoridades, ele foi detido e encaminhado ao sistema prisional do Rio de Janeiro.

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous post Justiça determina júri popular para caso de homicídio brutal na Barra da Tijuca
Next post CLDF Institui Comissão Permanente para Promover Direitos das Mulheres