Polícia diz que idosa foi morta por filha de consideração após sofrer golpe financeiro no Rio; vítima foi executada na porta de casa

Read Time:1 Minute, 13 Second

A suspeita foi policiais civis da Delegacia de Homicídios da Capital e confessou o crime. Câmera de segurança do condomínio onde Sheila Macedo da Silva morava registrou o crime.

Uma mulher foi presa nesta quarta-feira (25) pela Polícia Civil suspeita de participar no homicídio de Sheila Macedo da Silva, no Rio de Janeiro. A suspeita era filha de consideração da vítima, e a polícia diz que a motivação do crime foi financeira.

A idosa, de 65 anos, foi morta na frente do condomínio onde morava na Rua Marataia, no Pechincha, Zona Oeste do Rio, no dia 17 de outubro.

A principal linha de investigação era de que Sheila tinha sido executada. A Delegacia de Homicídios da Capital afirma que a suspeita usou a conta da idosa para fazer compras e contratar um empréstimo consignado de R$ 50 mil.

O valor do empréstimo foi transferido para uma conta pessoal da suspeita. Segundo a polícia, ela confessou a participação no crime em depoimento na delegacia.

No dia, o circuito de segurança do condomínio registrou a movimentação criminosa e o momento que Sheila foi alvejada.

Uma das câmeras mostra um carro branco passando pela porta do local pouco mais de 20 minutos antes do crime. O mesmo carro reaparece às 17h56.

Sheila aparece nas imagens do lado de fora do condomínio. Ela anda devagar na calçada e se aproxima do carro branco. Alguns segundos depois, diversos disparos são feitos contra ela, que cai no chão.

 

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous post Milicianos ofereceram R$ 500 por cada ônibus queimado; PM prende mais um suspeito de incendiar veículos na Zona Oeste
Next post Antonia Fontenelle perde último recurso contra Felipe Neto no STF em outro processo