Cláudio Castro manda anular prova para concurso da PM, após suspeita de fraude

Read Time:1 Minute, 42 Second

Exame objetivo do último domingo (27) será refeito, mas o certame não foi cancelado.

O governador Cláudio Castro (PL) mandou anular a primeira fase do concurso da Polícia Militar. A decisão foi tomada depois de várias denúncias de fraude na prova realizada no último domingo (27) — quando 20 candidatos foram presos.

O certame, no entanto, não foi suspenso. Os candidatos terão de fazer um novo exame objetivo, cuja data ainda será anunciada.

“Contratamos uma empresa para realizar um concurso e o que vimos no último fim de semana é inadmissível. Diante do que foi amplamente mostrado nas redes sociais, e em respeito aos candidatos que agiram corretamente, não me resta alternativa que não seja cancelar a prova objetiva”, disse o governador.

O governo do estado abriu uma sindicância para apurar falhas durante a aplicação da prova e notificou a empresa responsável pelo concurso — o Instituto Brasileiro de Apoio e Desenvolvimento Executivo (Ibade).

Esse foi o concurso da PM que teve o maior número de inscritos: quase 120 mil pessoas para 2 mil vagas.

“A enorme procura demonstra o quanto estamos valorizando aquela que é uma das carreiras profissionais mais importantes e valorizadas pela minha administração”, acrescentou.

O governador tranquilizou os inscritos no concurso: “Quem se inscreveu pode ficar tranquilo que em breve vamos anunciar as novas datas para a realização das provas, que acontecerão ainda este ano.”

Os exames foram aplicados em mais de 120 locais da Região Metropolitana do Rio. Os candidatos tiveram que responder a 50 questões das seguintes disciplinas:

Língua Portuguesa (10 questões);
Matemática Básica (10);
Noções de Direitos Humanos (10);
Noções de Direito Administrativo e Legislação Aplicada à PMERJ (10);
Noções de Direito Penal e Processo Penal (10).
Operação Aqui Não
Ao todo, 19 mandados de prisão foram cumpridos por crimes como roubo, deserção e receptação. Um ex-cabo da PM, que foi expulso da corporação, foi preso em flagrante por falsidade ideológica e tentativa de fraude a concurso. Ele é acusado de tentativa de homicídio contra um vigilante em 2016. A defesa disse que vai recorrer.

Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previous post ‘Odeio preto’: polícia indicia por injúria por preconceito, ameaça e falsidade ideológica mulher filmada agredindo jovem em lanchonete
Next post Washington Reis vai à Justiça de novo para evitar ser preso por crime ambiental